Estrabismo pode ser uma barreira social para as crianças por Dra. Renata Bastos Alves

Saúde

Chamamos de estrabismo a condição que afeta o paralelismo dos olhos, ou seja, quando eles não ficam paralelos. Algumas pessoas já nascem com esse tipo de problema, outras desenvolvem durante a infância, mas, o estrabismo pode também aparecer ainda mais tarde, mesmo em adultos. Neste caso geralmente causado por alguma doença física não ocular, como o diabetes e doenças neurológicas, ou devido a um traumatismo na cabeça.

 

VEJA TAMBÉM: 5 coisas que você deveria saber sobre crianças que roncam com Dr. Jamal Azzam
Tv Catia fonseca Como o estrabismo pode ser uma barreira social para as crianças por Renata Alves Estima-se que o estrabismo está presente entre 3% a 7% da população infantil. Além de ser uma doença que compromete a visão, existe também a questão do fator estético, que influência no comportamento e na autoestima das crianças, sendo muitas vezes associado a diversas síndromes neurológicas, como a Síndrome de Down, Sequência de Möbius, paralisia cerebral, dentre outras.

 

“De forma resumida, existem diversos tipos de estrabismo; o olho afetado pode estar desviado em direção ao nariz (estrabismo convergente), para o lado (estrabismo divergente), para cima ou para baixo (estrabismo vertical). Pode haver uma combinação de desvio horizontal e vertical num mesmo paciente, como, por exemplo, em direção ao nariz e para cima. Seja qual for o tipo ou a condição, é possível curar o estrabismo com tratamentos corretos para cada caso”, explica a oftalmologista Renata Bastos Alves.

a
VEJA TAMBÉM: Dor de crescimento com Dr. Marcelo Reibscheid

a

Quando descoberto ainda na criança, deve-se consultar um médico oftalmologista especializado em crianças assim que o desvio dos olhos é percebido. a

 

Em alguns casos, o tratamento pode ser feito apenas com o uso de óculos, uso de tampão (oclusão) e até injeção de toxina botulínica nos músculos oculares, mas, na grande maioria das vezes, o tratamento é cirúrgico. “A cirurgia é realizada nos músculos que movimentam os olhos, a depender do tipo de estrabismo. A internação hospitalar é de poucas horas e a recuperação tende a ser rápida. Porém, em alguns casos podem ser necessárias nova cirurgia se o desvio ocular permanecer”, concluí a médica.

 

Tv Catia fonseca Como o estrabismo pode ser uma barreira social para as crianças por Renata Alves  Renata Bastos Alves é oftalmologista – CRM: 83.686
Redes sociais
Instagram:
https://www.instagram.com/renata_oftalmo/