Atriz da Globo posta foto na cama e leva internautas à loucura

Waleska (Carol Castro) em O Tempo Não Para (Foto: Globo/João Miguel Júnior)

Waleska (Carol Castro) em O Tempo Não Para
(Foto: Globo/João Miguel Júnior)

No ar em O Tempo Não Para,novela da faixa das 19h da Rede Globo, a atriz Carol Castro deu o que falar ao compartilhar com seus fãs um clique pra lá de ousado.

Em seu perfil oficial no Instagram, no final da última sexta-feira, 03 de agosto, a global posou na cama e avisou: “Sextando”.

A imagem repercutiu e recebeu diversos elogios dos internautas, que ficaram boquiabertos com a boa forma da atriz.

Confira:

Sextando 🖤

A post shared by Carol Castro ✨C.C✨🅾️➕ (@castrocarol) on

CAROL CASTRO COMENTA RETORNO ÀS NOVELAS

A atriz Carol Castro está de volta às telinhas após dar a luz à Nina, de 11 meses. Ela está na nova novela das sete, O Tempo Não Para.

De volta aos trabalhos, Carol, em conversa com o jornal Extra, revelou as dificuldades de deixar sua filha em casa e colocar a “mão na massa” para seu novo papel.

“Substituo a palavra culpa por saudade. Gostaria de estar ao lado da Nina o tempo todo, mas é saudável que a mãe trabalhe e que ela vá à pracinha, à rua, veja o mar, brinque com crianças. Nina foi comigo a uma preparação da novela, pode acontecer de eu levá-la novamente num dia em que eu não tenha muitas cenas, mas a gente tem uma babá, um anjo que assume os cuidados com ela quando eu e Felipe estamos trabalhando. Então, me sinto pronta para voltar às novelas e estou bem feliz com essa personagem apaixonada pelo mar como eu. Tenho muito respeito pela Marinha, não só pelo meu avô (o já falecido comandante Israel de Oliveira, que foi capitão de mar e guerra), mas por tudo. Aliás, estou amando essa conversa num navio, com o balanço do mar”, comemorou ela.

A atriz Carol Castro. (Foto: AGNews)

Na trama, ela interpreta Waleska Tibério, Capitã de fragata da Marinha. Para compor a personagem, Carol contou que buscou inspirações nas memórias da infância.  “A disciplina militar dessa capitã de fragata fez parte da minha vida, do meu dia a dia, dos 5 anos até a adolescência, período em que morei em Natal (RN) com meu avô. Foram seis anos no total, intercalados com períodos em que vivi no Rio e em Bauru (SP), almoçando pontualmente ao meio-dia e ouvindo música clássica ao fundo. Quando o relógio tocava as 12 badaladas, sabia que era hora de sentar à mesa para almoçar. Foi meu avô quem me ensinou a gostar de música clássica e hoje sou casada com um violinista e maestro. Já levei Nina a um concerto, e ela ficou quietinha, prestando atenção e batendo palminha. Foi lindo de ver”, disse ela.