Ator de A Praça é Nossa vai pra Globo, irrita Carlos Alberto de Nóbrega e é chamado de traidor

Pierre Bittencourt e Carlos Alberto de Nóbrega (Foto: Montagem/TV Foco)
Pierre Bittencourt e Carlos Alberto de Nóbrega (Foto: Montagem/TV Foco)

Famoso por ter vivido o personagem Mosca na primeira versão da novela Chiquititas no SBT, o ator Pierre Bittencourt faz participações em A Praça é Nossa como policial. Porém, algo curioso aconteceu, o artista apareceu na Globo, onde foi preso na série Carcereiros.

Na produção global, ele interpreta o detento Geraldo, que acabou sendo assassinado no episódio que foi exibido anteontem. Logo que apareceu na tela da Globo, os telespectadores conhecera o rosto do ator, que está em A Praça é Nossa desde 2006, e é um dos “veteranos” do elenco atual do humorístico.

De acordo com Pierre Bittencourt, a repercussão da sua participação em Carcereiros foi grande, por ser algo novo em sua carreira. Ele, vale dizer, além do programa no SBT, também dubla realities, séries da Netflix e filmes como Pantera Negra.

“‘Praça’ é um programa tradicionalíssimo, existe há muitos anos e vai durar para sempre. A série chegou agora, está na segunda temporada e em evidência porque é da Globo e muita gente assiste. Fiz uma participação, e uma série muito bem feita, com a qualidade que tem ‘Carcereiros’, faz com que a galera assista bastante mesmo. As pessoas acabaram me vendo mais ali do que no programa que faço há 12 anos”, falou o ator em entrevista ao UOL.

O artista ainda falou que o seu ‘patrão’ Carlos Alberto de Nóbrega assistiu a série, e acabou fazendo piada com ele nos bastidores do humorístico, chamando ele de traidor: “Carlos Alberto chegou no dia seguinte à primeira cena que fiz e falou: ‘Eu te vi lá, hein? Seu traidor! Você foi trabalhar na Globo!”. Ele brincou e todo mundo riu. Respondi: ‘O que é isso, chefe? De jeito nenhum! Sou prestador de serviço tanto lá quanto aqui’”, contou Pierre Bittencourt.

O ator ainda contou que atualmente é mais conhecido pelo seu papel em A Praça é Nossa, do que por seu trabalho em Chiquititas: “Toda vez que entro no lava-rápido perto do estúdio de dublagem onde trabalho, um funcionário pode estar até embaixo de um carro e vai gritar: ‘Eu vou te levar para minha casa!’ (risos). Eu estava no mercado com a minha noiva e um funcionário ficou meio sem jeito de falar que interpreto um gay. Ele olhou para ela: ‘Posso falar?’. Respondi: ‘Lógico! Você acha que ela não sabe?’”, brinca.

Pierre Bittecourt em cena na série Carcereiros (Reprodução/Globo)

A Praça é Nossa perdeu título para o Zorra

Não é novidade para ninguém que há uma escassez gigante de programas humorísticos na TV aberta brasileira na atualidade. Isso ficou explícito no Troféu Imprensa desse ano, com a permanência de três fórmulas antigas de humor entre os três programas mais votados: A Praça é Nossa, Escolinha do Professor Raimundo e Zorra.

Se as opções permaneceram praticamente as mesmas, houve uma mudança radical na atração escolhida pelos jurados como a melhor. Recapitulando, o programa apresentado por Carlos Alberto de Nóbrega no SBT venceu essa disputa nos três anos anteriores: 2015, 2016 e 2017.

Agora, foi a vez do Zorra, da Globo, levar esse título. O programa, que é derivado do Zorra Total, passou por grande reformulação nos últimos anos e passou a atingir um público diferenciado. Na cultura popular, o programa já havia virado sinônimo de “sem graça”.

Carlos Alberto de Nóbrega apresenta A Praça é Nossa, no SBT (Foto: Reprodução)
Carlos Alberto de Nóbrega apresenta A Praça é Nossa, no SBT (Foto: Reprodução)